terça-feira, 21 de agosto de 2012

Afeto vale mais que presente



Todo mundo adora ganhar presente. Criança, então , nem se fala. Como é bom abrir um pacotinho - ou pacotão - embrulhado com papel brilhante e fita colorida comprado especialmente para você. Nem importa tanto aos pequenos ( e uma parte interessante dos adultos ) o preço do presente - ao menos quero crer que seja  assim ainda - já que o barato é abrir o presente e viver a surpresa. 

As festinhas infantis são  momentos mágicos em que os pequenos recebem um monte de presentinhos, lembranças e presentões que os deixam completamente malucos. Lembro que no ano passado, na festa de 4 anos do meu filho, a primeira grande festa da sua vida - até então tínhamos feito um bolo só para a a família - a parte mais difícil foi organizar a cabecinha dele no pós festa. Quando ele viu a quantidade de presentes, teve uma reação de euforia que demorou semanas a passar. Não sei até que ponto isso é saudável. Tantos presentes. Mas pelo menos ele sabe que só ganha mesmo no aniversário, natal e dia das crianças. Este ano quando quis um brinquedo de preço mais salgado, foi estimulado a entregar um outro em troca, que foi vendido num brechó e com o valor apurado pode comprar seu brinquedo. 

O que tento passar para meu filho é que o mais importante da festa é a festa em si, o momento em que ele poderá estar com todos seus amigos e pessoas que o querem bem. O afeto é o mais importante. Afeto não pode ser trocado no brechó. Afeto cura a alma de todos os seus males, é das coisas que se pode levar dessa vida. E algo que eu vi acontecer na festinha foi de um ou outro pequeno convidado fazer questão de entregar o presente em mãos com um abraço ao invés de deixar na caixinha dos presentes. Era uma criança querendo dizer : " Ei, sou seu amigo, estou aqui, trouxe isso pra você, me dá um abraço. " Não sei porque os presentes deixaram de ser entregue em mãos junto com o abraço. Acho que deve ser mais chique e poupa tempo do aniversariante. Mas, querem saber? Já passei isso com meu filho muitas vezes. Ficamos andando pela festa atrás do aniversariante para dar em mãos até que alguém chegava e mandava colocar na caixa. 

Há algumas semanas li no blog Ninguém cresce sozinho , um artigo que me deixou pensando muito. Deixe a criança entregar o presente em mãos! da psicóloga Patrícia Grinfeld merece ser lido. E este ano quem quiser entregar o presente ao meu filho irá fazê-lo , com abraço, beijo e afeto. Que é o que realmente importa.

2 comentários:

  1. Eu adoro dar presentes, mais até do que receber. E a Beatriz também está tomando gosto pela coisa. Com os presentes que ela ganha de aniversário, temos um combinado: abrimos aos poucos, um a cada fim de semana. E sempre tiramos algum brinquedo usado para doar.
    Gostei muito do texto sobre entregar o presente. Faz pensar.
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Eu adoro dar presentes, mais até do que receber. E a Beatriz também está tomando gosto pela coisa. Com os presentes que ela ganha de aniversário, temos um combinado: abrimos aos poucos, um a cada fim de semana. E sempre tiramos algum brinquedo usado para doar.
    Gostei muito do texto sobre entregar o presente. Faz pensar.
    beijos

    ResponderExcluir

Comente, debata conosco, deixe sua opinião. Mãe é tudo igual agradece.

Web Analytics ▲ Topo