quarta-feira, 6 de junho de 2012

Memórias de uma mãe - Sentir-se grávida.



Meu filho está próximo de completar 5 anos. E, as voltas com os preparativos, caiu a ficha. Cinco anos. Cinco  deliciosos anos que passaram sem sentir, apesar de terem sido vividos todos os seus dias, intensamente. Fiquei pensando, se os primeiros cinco anos , os mais exaustivos fisicamente, passaram assim tão rápido, os próximos devem voar. Daí nasceu a ideia de escrever sobre as experiências que vivi nesses 5 anos para não esquecer. Acredite, a gente esquece. São diferentes as fases da vida, uma hora eu viro mãe de um homem e não vou mais lembrar direito como era ser mãe do bebê que ele foi. Melhor escrever tudo agora, enquanto não me fugiram as coisas.   Isso sem contar a idade. A idade chega e apaga algumas lembranças. Então é isso . Com vocês, Memórias de uma mãe.

Capítulo 1

E aconteceu de eu ficar grávida aos 37 anos. Eu não queria filhos mas também não queria fugir do destino. E o destino se apresentou quando vi pela primeira vez uma luz quadradinha piscando na tela do médico que fazia o primeiro exame. Cacilda, tô grávida mesmo , encaremos. Não fiquei em êxtase. Sempre achei muito temerário trazer filhos a este mundo cruel. Uma pessimista. Sem filhos é muito fácil ser uma pessimista. Mas, é claro, é plenamente possível ser feliz. E eu era. Só que eu não conhecia meu filho. 

Então, como eu dizia , não entrei em êxtase. Entrei foi em estado de cuidado total comigo mesma. Sim, porque aos 37 anos, primeira gravidez, deu medo. Fiz tudo direitinho, a começar pela dieta e vitaminas nos primeiros meses. Eu não queria engordar , mas não era questão estética. Eu sabia que obesidade na gravidez não é boa coisa pra criança. Fazia um café da manhã de novela com tudo o que tinha direito, no até completar dois meses eu achei que gravidez era a maior das molezas, eu me sentia a mesma e comia muito bem , mas a partir daí e até o fim do terceiro mês , acordava com uma fome sem tamanho - nunca vi igual  e uns 15 minutos depois, enjôo. Nunca tive vômitos, mas ficava bem mal. 

Conclusão, emagreci e aprendi que gravidez não é moleza. Faltava aparecer a barriga também, mas isso fica pro próximo capítulo.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, debata conosco, deixe sua opinião. Mãe é tudo igual agradece.

Web Analytics ▲ Topo