terça-feira, 24 de janeiro de 2012

As histórias que eu quero contar para o meu filho




Assim como todas as crianças, meu filho é super esperto. Assim como todas as mães, quero para ele o que há de melhor e, se isso não for possível 100% das vezes - como, de fato, não é - quero o melhor  possível. Como boa criança urbana, está a mercê do consumo desenfreado . Ainda que eu me esgoele para tentar evitar, não dá para evitar tudo. Relaxemos, oremos, tentemos.

E tentando alguma coisa me diz que se eu ajudar a formar um leitor conhecedor das coisas do Brasil, as reais coisas do Brasil, as histórias que nos formaram, que nos ajudaram a criar este país continental cheio de problemas e maravilhas, se eu puder ajudar a construir não só um leitor, amante dos livros, da leitura, seja ela digital ou no papel , mas um leitor e cidadão consciente de quem é , onde está , quem foram seus antepassados, o que realmente importa para nós, os brasileiros, não os nova iorquinos. Se eu conseguisse chegar perto disso...

Mas, como ? Que histórias eu poderia contar? Histórias da nossa origem. Qual é mesmo a nossa origem? Portuguesa, indigena, negra, italiana, japonesa, alemã. Tantas origens para um só complexo resultado, tudo junto, misturado e meu filho no meio dessa loucura sendo forçado a acreditar que o que importa é só o que vem de fora. 

Não, eu não sou uma louca xenófoba que só quer falar dos índios e nada mais. Eu sou uma mãe que quer ajudar a construir um filho melhor para o mundo , já que não deu para deixar um mundo melhor para ele. Onde será que eu posso achar essas histórias para ler para o meu filho, histórias contadas desde sempre pelos grupos que ajudaram a formar o Brasil? Algumas nos chegaram sob o nefasto codinome folclore - e minha implicância com esta classificação ficará para uma outra oportunidade - mas outras estão por aí, registradas em alguns livros ou contadas oralmente dentro de alguns poucos grupos. Ah, eu queria poder contar essas histórias...Conhece alguma? 

* imagem Wikipédia 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, debata conosco, deixe sua opinião. Mãe é tudo igual agradece.

Web Analytics ▲ Topo