sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Mães pelo mundo - Singapura





Depois da África, a Ásia. O mães pelo mundo hoje vai até Singapura. Onde? Pois, é ! Singapura! Onde fica? Wikipédia explica:





A Roberta, do blog Piscar de Olhos, mora em Singapura e é mãe do Noah - nome lindo - há quase um ano. O Noah chegou a Singapura aos dois anos de idade. A entrevista abaixo é o só o início da sua viagem a Singapura, leitora. Sim, por que mergulhar mesmo você irá ao visitar o Piscar de Olhos. A Roberta escreve muito bem, sua postagem é uma conversa tão boa que não dá vontade de parar de ler. Eu virei fã do blog da Roberta. #prontofalei. Então , se você ainda não conhece a entrevistada de hoje, sugiro veementemente que visite seu blog depois. 


Blog -Como o Noah  vivencia a  dupla identidade cultural? Como ele se adaptou a nova cultura?

Roberta - Menina, se adaptou de  maneira muito mais fácil do que eu imaginava. Fala inglês, tem aulas de chinês. E a gente em casa dá uma forcinha pra que ele não perca as raízes brasileiras: só falamos português com ele e marcamos muitos playdates com crianças brasileiras.


Blog - Como é  o lazer das famílias em Singapura ?  



Roberta - Maravilhoso! Sol, praia, piscina e muita, mas muita segurança. Aqui o índice de violência é um dos mais baixos do mundo e dá pra andar com as crianças a qualquer hora em qualquer lugar. Até notebook você pode deixar na mesa e ir ao banheiro - quando voltar, ele vai estar lá! Aqui também tem um dos melhores zoológicos do mundo, quase todos os restaurantes são child'friendly e muitos deles possuem uma estrutura bacanérrima pra criança. Teatro, cinema, playgrounds - Singapura é a Disney da Asia.

 
Blog - Pode contar como funciona a rotina das mães em Singapura? Existe um bom sistema de creches ou as mães ficam em casa? As mães se relacionam, criam comunidades? Existem babás?



Roberta- Muitas das mães aqui vieram pra cá na condição de esposas de expatriados, então elas mandam as crianças por 2 ou 3 horas pra escola e, no resto do tempo, se dedicam a elas. Já as locais voltam a trabalhar muito cedo depois de parir e acabam deixando o bebê com os avós ou babá. Geralmente, escola é coisa pra depois dos 2 anos.

Blog - Quais as principais diferenças culturais e econômicas e educacionais você encontrou em Singapura em relação ao Brasil no que diz respeito a criação dos filhos?

Roberta - Culturalmente, Singapura é bastante influenciada pela comunidade européia, que é imensa. São três línguas oficiais, sendo o inglês a língua falada nas ruas. Gente do mundo inteiro se encontra aqui. Só na escola do Noah são 23 nacionalidades diferentes. Mas a principal diferença do Brasil é a segurança pública e o respeito as normas. Singapura funciona, é lindo de se ver.

Um comentário:

  1. Pois um dia eu vou pra Singapura (é com S agora, é?), PRIMEIRO, pra conhecer a madrinha virtual da Lily, essa mulher doidona que eu adoro, e SEGUNDO (veja bem, segundo!), pra ver de perto esse lugar maravilhoso. :D

    Beijos pra vocês! Tô adorando essas entrevistas, Vanessa!

    Lu

    ResponderExcluir

Comente, debata conosco, deixe sua opinião. Mãe é tudo igual agradece.

Web Analytics ▲ Topo