segunda-feira, 4 de julho de 2011

Protegendo nossos filhos do Cérebro de Pipoca

popcorn_brain

Fico imaginando como será a vida do meu filho em 15 ou 20 anos, um menino nascido imerso na digitalidade que nunca viu um mimeógrafo, uma vitrola, uma tv preto e branco. Alguém para quem o touchsreen talvez seja tecnologia ultrapassada, que seja acostumado a processar várias coisas ao mesmo tempo. Isso já existe. Os jovens de hoje já são capazes de multiplas tarefas on line, um estilo de vida bem distante daquele que considero ideal. Mas é o nosso mundo. Precisamos nos habituar a isso, ou devemos proteger nossos filhos de toda essa loucura.

Hoje ouvi um comentário de Gilberto Dimenstein, que acompanho há uns 20 anos pelo rádio, sobre os estudos da Universidade de Stanford pessoas que sofrem  de um distúrbio chamado “cérebro pipoca” . Acostumados a fazer muitas coisas ao mesmo tempo, como nosso navegador que abre tantas janelas quanto necessário, os portadores do cérebro pipoca possuem dificuldade de foco, e tem problemas ao terem de se concentrar em uma só tarefa , como por exemplo , cuidar de uma criança. O cérebro não para de pipocar e fica difícil se concentrar para, por exemplo , montar um quebra cabeças ou ler um livro.

Apesar de a conclusão vir de uma pesquisa científica, muitos de nós já percebemos que fazer muitas coisas ao mesmo tempo pode fundir a cuca e criar alguns problemas.  Exercitar o ócio por exemplo, parece que virou um crime, mas é muito importante para a saúde mental. Estamos nos acostumar a pensar que precisamos estar sempre ocupados acabamos por passar a nossos filhos essa ideia que não está totalmente correta. Precisamos nos ocupar com o que é importante e muitas vezes estar com nossos pensamentos é o mais importante de tudo, de preferencia em silêncio e com olhos fechados, olhando para dentro.  Nossos filhos são fascinados pelas novas tecnologias , isso é humano e natural, assim como é humano e natural andar descalço no parque sem hora para ir para casa e tomar um café com os amigos sem olhar o tempo todo para o celular como se alguma bomba fosse estourar a qualquer momento. Tiremos o pé do freio para o bem da cabecinha dos nossos filhotes.

para saber mais sobre o Cérebro de Pipoca , leia o artigo de Gilberto Dimenstein

* imagem PopconFace.com

Um comentário:

  1. É vdd, mulher polvo! Mas sempre fui hiperativa e isso me incomoda!

    ResponderExcluir

Comente, debata conosco, deixe sua opinião. Mãe é tudo igual agradece.

Web Analytics ▲ Topo