quarta-feira, 6 de julho de 2011

Como você escolhe livros para seus filhos?

 simone9

Na quarta-feira passada , falei da conversa com a Ma. Angela Prado de Melo Aranha da Casa de Livros, em São Paulo e tratamos dos novos leitores na era digital. Hoje o blog traz mais um questionamento extraído do papo com Ma. Angela. Como escolher os livros para os filhos?

Blog - Os pais quando chegam na livraria, eles ainda pedem ajuda ao livreiro? Não só no que diz respeito à faixa etária mas também, por exemplo, para apresentar pela primeira vez o livro ao filho?

Ma. Angela -Eles pedem ajuda sim. Aqui na Casa de livros eles pedem ajuda . Eu acho que é importante isso ( procurar saber) o que oferecer desde pequenininho. Se você oferece desde bebê é importante sim, oferecer desde cedo o livro. E eles perguntam : “Ah, mas vai rasgar!” E a gente diz: Não, mas isso também vai fazer parte (do processo). E eles dizem: “ Ah, mas ele vai escolher errado!” E nós respondemos : “Escolher errado faz parte da vida”. No processo de escolha , você só aprende escolhendo. Quanto mais você estiver próximo do seu filho e compartilhar a escolha melhor vai ser o processo de aprendizagem de escolha por um livro.

Gostei da parte em que Ma. Angela diz que errar faz parte. Faz mesmo não é? E fiquei pensando sobre o que quero para meu filho. Quero que seja culto e ponto final? Quero instrumentalizá—lo para que possa conhecer a si mesmo e ao mundo quando os questionamentos chegarem? Quero que ele passe no vestibular? Quero que ele seja feliz?

Li Memórias de uma moça bem comportada , de Simone de Beauvoir muitos anos antes de pensar em ser mãe . A primeira parte da obra, quando Simone conta sua infância, me chamou muito a atenção. Simone conta que seus pais, traçaram um planejamento para instruí-la, fazendo listas dos livros que deveria ler, classificados por idade. Não adiantava a menina querer ler livros antes da época, mas precisava ler todos os propostos para cada período. Será que a tática dos pais de Simone, Georges Bertrand de Beauvoir, um advogado em tempo integral e ator amador, e Françoise Brasseur, filha de um banqueiro foi a chave para criar não só uma pessoa culta, como uma pensadora, filósofa  e organizadora de uma corrente de pensamento revolucionária e que ainda está em debate? Tenho um palpite de que havia alguma coisa ali dentro da pequena Simone que a leitura habilmente despertou. Os livros ajudaram a construir a grande Simone. Livros e sinapses.

Mas, e euzinha?  Será que posso criar um projeto de vida baseado nos livros para meu filho, independente das escolhas de vida que ele venha a fazer – seja ele um filósofo importante ou um médico, bancário, piloto de avião, design ou engenheiro? Caso afirmativo, como escolher esses livros? Os pais de Simone tinham suas listas. Como farei as minhas? Eu tenho escolhido de acordo com minha experiência como leitora, professora e criança – sim, eu tb já fui uma – algumas indicações de outras mães e da mídia e visitas à livrarias com ele. Assim como Ma. Angela, acredito que estar próxima e compartilhar a escolha é muito importante também. E você , como escolhe as leituras de seu filho?

Para ler toda a conversa com Ma. Angela Prado de Melo Aranha clique aqui

* imagem google images -  na foto a pequena leitora que se transformaria na grande Simone de Beauvoir

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, debata conosco, deixe sua opinião. Mãe é tudo igual agradece.

Web Analytics ▲ Topo