segunda-feira, 27 de junho de 2011

Livro convencional para criança digital?

imagem-de-uma-crianca-na-frente-de-um-pc

O tempo todo ouvimos que as novas tecnologias vão sepultar os livros. Desde a impressão da Bíblia por  Guttemberg em 1456, parece que esta é a primeira vez em que o livro tem sua morte anunciada. As crianças já seguram o mouse junto com a mamadeira. E os livros? Será que haverá espaço para eles? Para tentar responder a esta indagação, fui ouvir uma dona de livraria infantil. Se as crianças não querem mais ler livros convencionais alguém como ela deve estar sabendo. Ma Angela Prado de Melo Aranha é sócia da Casa de Livros, especializada em literatura infanto-juvenil e aposta em projetos para ajudar no desenvolvimento do novo leitor e gentilmente aceitou tirar dúvidas de mãe. Do bate-papo retirei duas questões para debater no blog, a primeira lanço hoje dentro do projeto Rainhas do Livro. Veja o que disse Ma. Angela a respeito do livro X computador:

Blog -Como o livreiro vê a chegada das crianças desta geração que já nascem adaptadas às tecnologias novas? O leitor pequeno ainda se encanta com o livro de papel? Será que ele ainda está se apaixonando pelo livro?

Ma. Angela - Com certeza. Existe uma cultura habitual de transformar tudo o que é novidade na única opção e a linguagem possível. É uma cultura do novo, uma cultura fast-food, sabe? Consome rápido, também termina rápido. É tudo muito rápido o que as pessoas querem. Um leitor você não forma de um dia para o outro. Claro que as crianças tem facilidade de lidar com tecnologia mas a gente tem obrigação , como pai, como cidadão , como ser humano, de mostrar e apontar para esta criança que esta é apenas uma linguagem e não a linguagem. Da mesma maneira que existe a cultura do olhar, o olhar da mãe significa para ela ( a criança) o primeiro contato com o mundo. A mãe, o pai , tem que mostrar a ela que não é só o computador ( que existe) . E o encantamento com o livro acontece do mesmo jeito que o que acontece com a boneca, com o carrinho, se você oferecer.

Um leitor não se forma de um dia para o outro . Leitura é um hábito, que se forma ao longo de algum tempo. Achar que a criança que gosta de brincar no computador não vai gostar de ler por só gostar do imediato, com apelos sonoros e visuais talvez seja menosprezar o intelecto do pequeno. Dando tempo – e livros – á criança, o amor pela leitura terá grandes chances de acontecer.

o encantamento com o livro acontece … se você oferecerOferecer o livro à criança, para que ela experimente, vivencie a leitura  - de preferência o mais cedo possível – facilitará seu envolvimento com a leitura.

Da conversa com Ma Angela extraí que os livros continuarão vivos por um tempo. E ainda que um dia eles deixem de ser usados, o amor pela leitura – num notebook, palmtop, Ipad ou feixe de luz – precisa ser estimulado. E você , o que acha?

Para ouvir a conversa do Blog com Ma. Angela Prado de Melo Aranha clique aqui

Imagem google images

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, debata conosco, deixe sua opinião. Mãe é tudo igual agradece.

Web Analytics ▲ Topo