terça-feira, 31 de maio de 2011

Ministério do Fast Food

fastfood

Fast food não é saudável. Não fui eu quem disse. Foi o seu médico. Já experimentou chegar lá no consultório e contar como você andou abusando dos hamburguers? Lembra da bronca seguida de explicação sobre o risco de aumento do colesterol, hipertensão, obesidade e tantas outras doenças que podem abreviar sua vida? Pois então, fast food não é saudável. Você pode até comer de vez em quando mas não pode ser um hábito alimentar. Pode matá-lo como o cigarro e o álcool. Mesmo sabendo disso muito melhor do que nós o Min. da Saúde firmou uma parceria com a rede Mac Donalds, conhecida mundialmente por engordar a população mundial com calorias vazias , passando a denomina-la “amiga da saúde”. Parece piada do Ronald MacDonald, né? Mas é coisa séria. Ronald conseguiu uma parceria com o governo e um selo de garantia para seus alimentos gordureba. Depois do auê que a divulgação da parceria vem causando o Min. da Saúde divulgou a seguinte nota:

O Ministério da Saúde mantém parceria com 384 empresas brasileiras, de diversos setores, que nos apoiam em iniciativas de promoção da saúde e prevenção de doenças. A participação destes parceiros nos ajuda a ampliar o alcance e a visibilidade de nossas campanhas informativas, mas sem implicar endosso irrestrito do ministério às práticas e condutas das empresas.

Audiências como a registrada na foto postada no Flickr do Ministério – em que o presidente do MCDonald’s na América Latina, Marcelo Rabach, entrega ao ministro Alexandre Padilha uma lâmina de bandeja sobre hábitos saudáveis – são comuns para que as empresas parceiras apresentam seus projetos de promoção da saúde.

Além do apoio à divulgação de nossas campanhas, MC Donald’s já aderiu a acordos entre o MS e a indústria alimentícia para reduzir a proporção de gordura e sódio nos alimentos.

Achei muito interessante a parte que diz “ sem implicar endosso irrestrito do ministério às práticas e condutas das empresas.” Isso quer dizer alguma coisa como O MacDonalds é amigo da saúde mas isso não quer dizer que a rede contribua de qualquer maneira com a saúde propriamente dita? Precisamos gritar contra isso, antes que viremos definitivamente o país da gordura saturada.

Para mais informações leia Frente pela regulação da publicidade de alimentos

Um comentário:

  1. Olá Vanessa, aqui Maria Alice, do W3 Blogs. Eu não sabia desta declaração do Ministério da Saúde... Cada vez percebo que o país perde mais o senso, o bom senso ou qualquer discernimento por MÍNIMO que seja,ao participar de pataquadas como estas... :-(
    Um abraço, indignada.

    ResponderExcluir

Comente, debata conosco, deixe sua opinião. Mãe é tudo igual agradece.

Web Analytics ▲ Topo