domingo, 8 de maio de 2011

Mãe dá conta de tudo, sim

ruth orkin mother and baby 1949
Dizem que quando nasce uma criança, nasce também uma mãe. E é verdade. Mas, a mãe não fica pronta, assim prontinha, só com aquele nascimento. Ela precisará de algumas noites de sono suprimidas, boas horas de choro sem sentido nos ouvidos, boas tardes de conversa ao pé do ouvido, febres, muitas febres  e outras tantas aventuras para se tornar a mãe daquela criança. A cada dia um novo desafio , já que filho é o ser com maior capacidade de impor desafios novos que existe.  Isso sem falar que ser mãe de um filho não é ser mãe de todos os filhos. A cada nascimento, ainda que a mãe já conheça o passo-a-passo prático de cor, estará de frente a um outro indivíduo, com necessidades diferentes.  Será preciso ser uma mãe diferente para cada um.

Falando assim parece tudo muito complicado. É, não deixa de ser mesmo tudo muito complicado e ao mesmo tempo extremamente simples. Algo que acontece, com ou sem planejamento, de uma maneira absolutamente inesperada. Não há como prever o que é ser mãe porque , ainda que pareça, ou até seja, clichê, é verdade que só mãe é que sabe. Um ser com capacidade de gerar outro ser perfeitinho dentro de si e ainda alimentá-lo somente com seu corpo? Ah, só ela é que sabe. Só ela sabe olhar nos olhos do filho e ver que alguma coisa não vai bem ainda que a boca diga o contrário. E para aumentar o grau de dificuldade , só ela sabe , mesmo a quilômetros de distância, que alguma coisa não vai bem pelo tom da voz do filho ou uma palavra mal colocada.

É a mãe o aconchego que o filho precisa. É a mãe o alimento, o porto seguro, a fortaleza inabalável , o dicionário, a defensora, a porta voz e porta estandarte. A mãe,  pode perguntar a qualquer filho, é  a melhor de todas as cozinheiras, a professora, a costureira, a estilista, a organizadora de festas,  a confeiteira , a médica e enfermeira, a animadora de torcida, mesmo que não seja nada disso. É a mãe a primeira, mais antiga e forte lembrança. E ela consegue essa proeza sem receber manual de instruções junto com o bebê que chora depois do parto, limitando-se a olhar para aquele embrulhinho e pensar: “Será que dou conta?” Ah, dá sim. Como se mãe tivesse nascido com um dispositivo automático para o momento, alguma coisa dispara na sua cabeça e ela começa a seguir o que chamam de intuição e que, no futuro, será intercalada com alguma experiência.  No final da história toda, se Deus quiser, há de dar tudo certo. Afinal , tudo o que queremos é que nossos filhos sejam felizes, cresçam e se tornem adultos melhores. O tempo vai passar, eles vão crescer, sair em busca dos seus desafios e seus próprios filhos. O que eles não sabem é que nós, as sua mães, acabamos nos tornamos pessoas muito melhores por causa deles.

Feliz dia das mães hoje e todos os dias.

*  imagem
Mother and Baby de Ruth Orkin, 1921-1985,
fotógrafa americana

6 comentários:

  1. Oi linda! Feliz dia das maes!!!

    bjkas

    ResponderExcluir
  2. Que lindo o que escreveste, realmente nós sabemos identificar tudo nos detalhes...Feliz dia!

    ResponderExcluir
  3. Oi Vanessa, que texto lindo!
    E concorndo com voce: nos tornamos muito melhores com e por causa dos nossos filhos.
    Espero que tenha tido um otimo Dia das Maes por ai, e como todos os dias sao nossos: feliz dia para voce hoje tambem.
    Abracos
    Gra

    ResponderExcluir
  4. Vanessa
    Amiga estou aqui atrasada como sempre esperando que tenha passado um dias das mães muito feliz ao lado do filhote.

    Tudo que nós mães queremos é que nossos filhos sejam felizes

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Maravilhosamente mães, mulheres, perfeitas, imperfeitas, cheias de amores diferentes para filhos mais diferentes ainda! Ser mãe é majestosamente uma delícia! Belíssimo post, minha amiga! Parabéns! Grande beijo!

    ResponderExcluir

Comente, debata conosco, deixe sua opinião. Mãe é tudo igual agradece.

Web Analytics ▲ Topo