segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Obesidade Infantil

junkiebabies 

Durante muitos anos ouvimos que a desnutrição era um dos maiores problemas mundiais. A Fome, um dos 4 cavaleiros do apocalipse sempre foi muito temida. Agora, parece que as coisas mudaram. Estamos nutridos e saudáveis? Podemos comemorar? Ledo engano.  Segundo pesquisadores  da USP e Unifesp em recente pesquisa “apenas 3% da população acima de 40 anos pode ser enquadrada como subnutrida: 60% dos entrevistados, representantes das classes A e B e 52%, das C, D e E, estão acima do peso”.  A verdade então é esta: estamos gordos.

Os hábitos alimentares e o estilo de vida são os principais culpados desta inversão do estado de coisas. Quando a obesidade não é causada por outros problemas orgânicos, comida gordurosa e vida sedentária tem nos deixado gordos e doentes . O pior é que não só os adultos, seres providos de maturação psicológica e conhecimento para escolher o que devemos comer, estão engordando. A má alimentação de nossas crianças está criando pequenos obesos e comprometendo em muito a saúde de nossos filhos.

obesidadeinfantil

Cada vez mais adotamos o estilo de vida norte-americano, onde gordura saturada e açúcar aliada a sedentarismo. Há decadas dietas milagrosas são usadas sem critério e, que coisa engraçada, não fazem milagre algum. Continuamos acima do peso apesar do que nos promete a propaganda. E por que? Porque continuamos comendo mais do que precisamos e aquilo que não nos nutre. Queremos o corpo de Gisele Bundchen mas comemos como búfalos. Culpa da propaganda? Sim, mas nós temos nossa parcela de responsabilidade.

A propaganda só funciona quando, passivamente, nos deixamos levar. Quem diria, falta de senso crítico engorda. E falta de auto estima também. No Globo Reporter da última semana, o repórter Flávio Fachel entrevistou brasileiros que moram nos Estados Unidos e engordaram em média 15 quilos em um ano comendo com Tio Sam. Leia a transcrição de parte da entrevista :

Os hábitos são difíceis de serem mudados, tanto para quem nasceu nos Estados Unidos, como para quem veio de fora. O argumento do pavimentador Elton Guimarães é o mesmo de muitos americanos: no país das liberdades, quem condenaria o pai que quer fazer a alegria do filho?

“Faço questão, porque eu não tinha isso no Brasil. Eu faço questão que os meus filhos possam escolher se querem tomar ou comer aquelas coisas. Vai depender deles. O importante é que eu possa dar para eles. Faz bem para mim, para o meu ego, como pai”, declara.” ( sublinhou-se e grifou-se)

Alguma dúvida de que o que deve emagrecer em muita gente é o emocional? E quando os pais oferecem aos filhos alimentos sem valor nutricional e cheios de gordura, o que se pode esperar dos futuros adultos? Leitores, o caso é grave, precisamos nos alimentar melhor e deixar e envenenar nossos filhos. Nossa descendência agradece.

Gostou do artigo? Aproveite e assista ao video sobre o assunto produzido pelo Criança e Consumo.

 

* Fontes Oprah.com, Globo Reporter. Imagens – google images

7 comentários:

  1. Tenho a sorte de trabalhar meio período, com isso, posso educar minha filha, de 3 anos e 3 meses, do modo como acho mais saudável, em todos os aspectos. Não gosto de fórmulas e dicas xiitas no mundo materno, o que vejo muito por ai, mas a consciência da educação, em todas as esferas é imprescindível. Não é a responsabilidade "apenas" de um filho, mas da criação de um cidadão.
    Percebo uma certa preguiça maternal. Em fazer os pratos, em ter o prazer da cozinha e em estabelecer a negociação mesmo, de que o docinho só vem depois de comer a comida. E outra, pais que não comem e querem que o filho coma é IN-SA-NO! Repito, insano!
    As crianças precisam de exemplos. E se dar batatinha é mais fácil para o pequeno "ñ encher o saco" - lamento, tá criando um futuro obeso. Por acaso, já tentou picar uma maçã e dizer que é queijinho? gastar uns centavos a mais e comprar os legumes babies? fazer um bolo junto com o filho sem precisar melecar a receita?
    Tente, você pode se surpreender! )

    www.maesomudadeendereco.zip.net

    ResponderExcluir
  2. Tu sabes que o hábito alimentar dos filhos é criado pelos pais, até porque quem tem o dinheiro e vai comprar comida são os pais e não os filhos.
    Quando alguém fala: "Ai não sei o que faço, meu filho come só besteira"... Pergunto na lata quem é que vai ao mercado.
    O problema penso que é a pressa... Muito mais fácil colocar algo para descongelar no microondas do que preparar. Aqui em casa mudamos radicalmente os hábitos alimentares. Lucas, meu filho que estava muito acima do peso, está saudável.
    A gente precisa mudar a cabeça do adulto para mudar as crianças.
    Beijos, adorei o texto!

    ResponderExcluir
  3. Fiquei chocada com a declaração desse pai...
    Concordo com o depoimento da Leticia.
    Não é a criança que faz o habito alimentar, são os pais.
    Se livrar dessa obrigação dizendo que os filhos que escolhem o que querem comer é fácil.
    Isso não é ser bom pai, não é respeitar a criança. É ser irresponsável com saúde deles.
    Se a criança "só come porcaria" é pq alguém dá né?
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Vanessa gostei de mais do artigo.
    Sou mãe de dois meninos e desde pequenininhos que a lei aqui é comer feijão de segunda a sexta e nos finais de semana e feriados é liberado para as massas, mas só se estiver na mesa. Assim a mesma regra serve para os bombons, refrigerantes e sanduíches.
    Tem funcionado, mas a mamãe desses garotos é que precisa entrar na linha, pois estou em forma de bola. kkkkkkkkk

    Muito bom teu blog, tem assuntos do qual muito me interesso, principalmente o Bullying.
    Você já viu a cartilha?
    Postei ontem.

    Só pra finalizar, estou vindo do blog Balde,Areia e Balanço de Ana, que postou selo ofertado por você.

    Xeros

    ResponderExcluir
  5. Cheguei no seu blog por acaso e me deparei com seu post. Estou passando por esse problema com meu filho mais velho, ele tem nove anos e esta com 60 Kg. Fruto de uma criação desregrada, com muito refrigerante, muita comida gordurosa, lanches e sedentarismo, que é um mal que quase não existia na nossa época e que agora é massificado. Sempre fui muito permissiva e me culpo demais por tudo o que está acontecendo, porque sempre deixei que todos fizessem as vontades dele, ficando sozinha com o lado da "chata" da história. Meus sucos e legumes nunca foram muito atrativos em um meio bem mais saboroso em que sempre vivemos. Hoje ele está obeso e com pressão alta, iniciei o regime com ele e tenho o forçado a comer de maneira mais regrada. Se desde do início eu tivesse sido mais rígida ele não precisaria passar por isso.
    Sei que vai ser uma luta, uma mudança radical de hábitos e isso vai mexer muito com ele. No final espero apenas que ele saiba que estou fazendo tudo por ele... pra que ele fique bem.
    Que fique a dica para as mães, fazer as vontades de seus filhos ou permitir que pessoas muito ligadas a rotina deles o façam, pode acarretar em sérios problemas futuros. Não deixem que o mimo de hoje se transforme no tormento de amanhã.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Cheguei no seu blog por acaso e me deparei com seu post. Estou passando por esse problema com meu filho mais velho, ele tem nove anos e esta com 60 Kg. Fruto de uma criação desregrada, com muito refrigerante, muita comida gordurosa, lanches e sedentarismo, que é um mal que quase não existia na nossa época e que agora é massificado. Sempre fui muito permissiva e me culpo demais por tudo o que está acontecendo, porque sempre deixei que todos fizessem as vontades dele, ficando sozinha com o lado da "chata" da história. Meus sucos e legumes nunca foram muito atrativos em um meio bem mais saboroso em que sempre vivemos. Hoje ele está obeso e com pressão alta, iniciei o regime com ele e tenho o forçado a comer de maneira mais regrada. Se desde do início eu tivesse sido mais rígida ele não precisaria passar por isso.
    Sei que vai ser uma luta, uma mudança radical de hábitos e isso vai mexer muito com ele. No final espero apenas que ele saiba que estou fazendo tudo por ele... pra que ele fique bem.
    Que fique a dica para as mães, fazer as vontades de seus filhos ou permitir que pessoas muito ligadas a rotina deles o façam, pode acarretar em sérios problemas futuros. Não deixem que o mimo de hoje se transforme no tormento de amanhã.
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Tu sabes que o hábito alimentar dos filhos é criado pelos pais, até porque quem tem o dinheiro e vai comprar comida são os pais e não os filhos.
    Quando alguém fala: "Ai não sei o que faço, meu filho come só besteira"... Pergunto na lata quem é que vai ao mercado.
    O problema penso que é a pressa... Muito mais fácil colocar algo para descongelar no microondas do que preparar. Aqui em casa mudamos radicalmente os hábitos alimentares. Lucas, meu filho que estava muito acima do peso, está saudável.
    A gente precisa mudar a cabeça do adulto para mudar as crianças.
    Beijos, adorei o texto!

    ResponderExcluir

Comente, debata conosco, deixe sua opinião. Mãe é tudo igual agradece.

Web Analytics ▲ Topo