quinta-feira, 27 de maio de 2010

A dor da mordida



Mordidas. Os pais de crianças entre 1 e 3 anos costumam ter pavor delas. Imaginar nossos filhotes na escola ou parquinho, a mercê de boquinhas nervosas prontas a deixar-lhes marcas, arrepia. Como um filme de terror.

Meu filho passou o primeiro ano na escolinha livre e ataques de qualquer espécie. Apesar de haver em sua turminha uma menina mordedora, nunca aconteceu entre os dois uma disputa que pudesse terminar em agressão. Lembro que num dos dias de reunião para entrega das avaliações de período, a professora disse que meu filho era muito tranquilo e dificilmente se metia em questões que pudessem terminar em mordidas.

Este ano a coisa mudou pois ele já não é tão pacato e o mundo está um pouco mais interessante. Em uma disputa por um sapato que eu já contei no post Criança e consumo- Acho que tô perdida , no Fio de Ariadne., a mordida aconteceu. Como a coisa foi branda , sosseguei apesar de continuar querendo saber . Por que as crianças mordem? Segundo Cláudia Maria de Morais Souza - Psicopedagoga, consultora educacional, co-diretora do CLIC (espaço de brincadeiras e cultura para crianças) em Belo Horizonte, MG., crianças nesta idade mordem para conhecer. 

"Para elas, tudo que as cerca é objeto de interesse e alvo de sua curiosidade, inclusive as sensações. O conceito de dor, por exemplo, é algo que vai sendo construído a partir de suas vivências pessoais e principalmente sociais, e não algo dado a priori. Mordendo o outro, a criança experimenta e investiga elementos físicos, como sua textura (as pessoas são duras? São moles? Rasgam? Quebram?), sua consistência, seu gosto, seu cheiro; elementos “sexuais” (no sentido mais amplo da palavra), na medida em que morder proporciona alívio para suas necessidades orais (nelas, a libido está basicamente colocada na boca) e ainda investiga elementos de ordem social, isto é, que efeitos que esta ação provoca no meio (o choro, o medo ou qualquer outra reação do coleguinha, a reprovação do educador, etc). Dessas investigações é que será engendrado o conceito de dor, tanto da dor própria (as crianças pequenas muitas vezes mordem também a si mesmas , numa atitude explícita das ações listadas acima) quanto da dor do outro (sentido moral da dor: a constatação de que não é lícito proporcionar dor ao outro, mesmo que os sentimentos – a raiva - assim o indiquem).
É claro que, vencida esta primeira etapa de investigação, algumas crianças podem persistir mordendo, seja para confirmar suas descobertas ou para “testar” o meio ambiente (disputa de poder, questionamentos de autoridade, etc). Ou ainda, pode ser uma tentativa de defesa: ela facilmente descobre que morder é uma atitude drástica. Raramente a mordida é um ato de agressividade, e muito menos de violência. As crianças raramente querem simplesmente agredir, a não ser que estejam vivendo alguma situação de intenso stress emocional em que todos os demais recursos estejam esgotados.( leia o texto integral do artigo aqui )

Para os pais que vivem num mundo adulto, onde uma mordida é sempre sinal de agressividade, é difícil ler e compreender o comportamento dos filhos e seus amiguinhos de modo diferente. É importante estar atento para que a mordida não ocorra e caso aconteça, procurar não incentivar o revide. Isso tudo respirando fundo e pedindo aos Céus ajuda para mais esta parte da gincana que é criar filhos.

* imagem google images



Quer contribuir para uma boa causa e concorrer a uma camiseta como esta aí em cima? Visite o blog Bicha Fêmea, conheça a ONG Viva Melhor que trabalha no apoio à mulher mastectomizada , deixe um comentário e cruze os dedos!



8 comentários:

  1. Oi Vanessa! A Série Ser Mãe pelo Mundo está com um texto novo! Convido você e seus leitores a participar!

    Beijão

    http://enquanto-esperamos.blogspot.com/p/serie-ser-mae-pelo-mundo.html

    ResponderExcluir
  2. As mordidas realmente apavoram qualquer mãe.
    Uma vez literalmente os dentes de um menino rasparam na bochecha do meu filho mas conseguir puxar ele a tempo.
    A mãe não sabia a onde enfiar a cara.
    E falou: "Aprendeu na creche! E não sei como tirar essa mania."
    Acho que é maneira de defesa em um espaço divido com dezenas de crianças. Sobrevive os mais fortes. Hehehe
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Mordidas... aiaiai... Ninguém gosta de ver seu filho mordido e como essa é uma das 10 coisas mais corriqueiras no mundo infantil é um tema que sempre deve ser comentado... Morais Souza explicou direitinho o que ocorre quando o assunto é mordidas infantis, vou ler o artigo inteiro!!!

    ResponderExcluir
  4. Uai, se fosse por conhecimento, todas as crianças morderiam, não? Porque algumas mordem e outras não? Falta de vontade de conhecer o mundo? Não sei, nunca vi a 'coisa' por esse prisma e penso em duas possibilidades: uma, a criança tem uma agressividade latente e outra, não sabe colocar pra fora a frustração. Já presenciei os dois casos e posso dizer que no primeiro, a criança além de morder, arranhava, puxava cabelo ou aquilo conseguisse fazer de assalto, depois ainda ria da reação de outra criança. Preocupante, pois uma criança muito pequena portar tal nível de agressividade é porque presenciou essa agressividade. Pareço radical, mas não - e percebo que quando damos atenção, reservamos uma horinha para relaxar e conversar, ouvir musiquinhas ou tirar uma pestana junto com a criança, essa agressividade diminui. Trabalhar em grupo com crianças muito pequenas é excelente! Algumas interagem como se fosse o grupo uma pessoa só e talvez por isso, vez ou outra descarregam uma frustração em cima de um amiguinho. Engraçado que o meu filho nunca foi alvo de mordidas, será porque ele sempre foi o grandão da turma? (rs*) - As crianças são bastante observadores e sabem bem até onde ir - Algumas vezes nos testam! Beijus,

    ResponderExcluir
  5. O Leo foi mordido uma vez porque queria pegar da amiga uma peça de Lego, nunca mordeu ninguém, meu filho nunca foi muito normal nesse aspecto, passada a fase de bebezinho, nunca me preocupei com ele, nunca foi de colocar nada na boca, nada. Deve variar de criança prá criança, a questão da mordida, eu sempre entendi isso mesmo, que fosse a questão do testar, provar e experimentar a sensação e de certa forma poder transgredir... Beijocas.

    ResponderExcluir
  6. Amiga

    Nem sei se vai gostar,
    mas tem um selinho para você
    no Blog dos Presentes do Espaço Mensaleiro.

    http://repassandofloresquerecebi.blogspot.com/

    Forte abraço.

    ResponderExcluir
  7. Amiga

    Nem sei se vai gostar,
    mas tem um selinho para você
    no Blog dos Presentes do Espaço Mensaleiro.

    http://repassandofloresquerecebi.blogspot.com/

    Forte abraço.

    ResponderExcluir
  8. As mordidas realmente apavoram qualquer mãe.
    Uma vez literalmente os dentes de um menino rasparam na bochecha do meu filho mas conseguir puxar ele a tempo.
    A mãe não sabia a onde enfiar a cara.
    E falou: "Aprendeu na creche! E não sei como tirar essa mania."
    Acho que é maneira de defesa em um espaço divido com dezenas de crianças. Sobrevive os mais fortes. Hehehe
    Beijos

    ResponderExcluir

Comente, debata conosco, deixe sua opinião. Mãe é tudo igual agradece.

Web Analytics ▲ Topo