terça-feira, 25 de maio de 2010

Culpa de mãe. Até Fátima Bernardes sente.



A revista Quem Acontece desta semana traz a jornalista Fátima Bernardes na capa com a chamada " Já pensei em largar tudo" . Tudo, explico, é a carreira como jornalista e âncora do maior telejornal do país. Fátima, que é bonita, simpática, boa jornalista, goza de excelente credibilidade e tem fãs espalhados pelo Brasil ainda é feliz no casamento e tem três filhos. Como ela consegue, você pode se pergunta e eu também me pergunto. Fátima diz que consegue sim, mas paga o preço da culpa.

"No mês anterior à Copa, viro um pano de chão, um trapo. A cada momento é uma luta para não pensar na separação. (...) A culpa é muito grande."
"
Tomei conhecimento da culpa da mãe famosa quanto li "Vida de Equilibrista: dores e delícias da mãe que trabalha" de Cecília Russo Troiano , prefaciado por Fátima. A conclusão de uma pesquisa realizada pela autora é a de que a jornalista é o exemplo perfeito de mãe e profissional.O resultado da pesquisa deu origem ao livro. Fátima  foi eleita com 30% dos votos, seguida pelas atrizes Malu Mader e Glória Pires, ambas com 12% dos votos.

" Já tive vários momentos em que pensei em largar tudo , porque quando você acha que vai melhorar porque eles estão crescendo, eles te solicitam mais."
  Assim, a partir de agora, quando se pegar culpada por não poder dedicar o tempo que gostaria a seus filhos, lembre-se que não o dinheiro ou uma melhor posição na carreira não a diminuem , assim como a presença de um marido muito bom. A culpa é nossa companheira e a nós resta lidar com ela da melhor forma procurando empilhar os pratinhos da melhor maneira possível.

* fontes Revista Quem e SRZD

4 comentários:

  1. É isso aí, a culpa assola a maioria das mães (ainda me pergunto como tem mulher que não sente culpa), pode ser pobre, rica, branca, preta, o que a gente quer mesmo é ficar grudada na cria, e não sentir que estamos abdicando da presença deles pelo trabalho, nem estamos deixando de acompanhar tudo com eles, como deveria. A culpa segue latente.

    Beijos
    Priscila e Beatriz

    ResponderExcluir
  2. Já vi muitas mães deixando seus filhos pequenos aos prantos em creches.
    A criança depois de um tempo para de chorar,se distrai.
    Mas a mãe passa o resto dia no trabalho chorando por dentro.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. dilema terrível, que se agrava com o aumento do entendimento da criança... estou passando por isso, meu filho de um ano e quatro meses acorda cedinho pra ficar junto com a gente e chora muito, quando saímos pra trabalhar. Confesso que hoje não aguentei, chorei também... mas o universo conspira... teremos uma guinada na minha vida, e acho que vai vir na hora certa, vamos ver!
    Beijo grande, querida, e obrigada pelo carinho!

    ResponderExcluir
  4. É isso aí, a culpa assola a maioria das mães (ainda me pergunto como tem mulher que não sente culpa), pode ser pobre, rica, branca, preta, o que a gente quer mesmo é ficar grudada na cria, e não sentir que estamos abdicando da presença deles pelo trabalho, nem estamos deixando de acompanhar tudo com eles, como deveria. A culpa segue latente.

    Beijos
    Priscila e Beatriz

    ResponderExcluir

Comente, debata conosco, deixe sua opinião. Mãe é tudo igual agradece.

Web Analytics ▲ Topo